Treinar gatos, é possível?

Os gatos são animais muito inteligentes e possuem uma grande capacidade de aprendizado. Treinar um gato é possível, desde que sejam empregadas as técnicas corretas, somadas a muita paciência, afeto, diversão, recompensas e compreensão.

Treinar gatos… Mas não eram indomáveis?

Quando falamos em treinar gatos, algumas pessoas ficam céticas. Isso se deve a que os gatos foram taxados como desobedientes, teimosos, não muito inteligentes e outros adjetivos semelhantes. Uma generalização injusta que tem muitos mitos e pouca verdade.

A verdade é que os gatos são criaturas maravilhosas que se comportam de maneira surpreendente e divertida, e são capazes de fazer coisas geniais quando os seus humanos o pedem.

A percepção geral de que os gatos são criaturas indomáveis, que não podem ser adestradas, ou que treinar um gato é uma meta muito difícil de alcançar vem da comparação com os cães e da ampla predisposição destes para, no geral, seguir ordens e executar as ações que forem pedidas.

E, certamente, os cães evoluiram para executar as tarefas que o ser humano tem pedido, como cuidar do gado ou afastar intrusos em uma propriedade. Por outro lado, dos gatos não se espera muito mais do que apanhar roedores. E essa é uma tarefa que fazem por instinto, não precisam ser ensinados.

É possível treinar um gato?

Sim, com certeza. A princípio, toda criatura pode ser treinada para responder diante de um estímulo da forma esperada; ou seja, qualquer animal pode ser adestrado: mamíferos, aves, insetos.. Qualquer. A chave é usar a técnica mais adequada para cada um, de acordo com as capacidades do animal e os seus padrões de comportamento. Se é possível adestrar um tigre para atravessar um aro em chamas (como fazem nos circos), sem dúvida podemos ensinar ao nosso gatinho um par de truques.

Quando falamos de adestrar um felino, podemos estar a falar do treinamento de gatos básico, como usar a caixa de areia ou não arranhar o sofá (que são atitudes de convivência básica que devemos ensinar desde que são muito pequenos), ou podemos estar a falar de ensinar truques geniais, somente para entretê-los e nos entretermos.

Em ambos os casos, é importante deixar claro que não devemos tentar que o gato faça algo contrário ao seu instinto ou que seja anti-natural.

Como treinar o seu gato?

Se queremos ter sucesso ao treinar um gato, é preciso ter um conta algo muito importante: os gatos não respondem bem aos castigos. O gato não entende o conceito e dificilmente vai associá-lo a um comportamento indesejado da sua parte. Por isso, repreender um gatinho quando não executa uma ordem que mandamos, ou faz algo que não queremos, somente irá provocar stress e ansiedade, o que o empurra na direção oposta do objetivo que almejamos.

O segredo para adestrar um gato está em adotar o que na psicologia comportamental é conhecido como reforço positivo, ou seja, recompensá-lo cada vez que se comporta da maneira que desejamos, assim como seus avanços no aprendizado da tarefa.

No que consiste a recompensa? Em dar algo que gosta muito: uma guloseima para gatos, pedacinhos do seu alimento preferido, carinhos (se gostar disso) ou uma divertida sessão de jogos.

Mediante o reforço positivo, o gato associa o seu comportamento com a recompensa e aprende que se deseja ser recompensado novamente, deve repetir a ação ou o comportamento que o fez receber um prémio.

Em qualquer caso, se for adestrar um gato, considere as seguintes recomendações:

  • Prepare o ambiente. Procure um lugar tranquilo, no qual o animal esteja confortável e não tenha distrações, para que possa se concentrar e prestar atenção no que estiver ensinando.
  • Não interrompa a sua soneca para iniciar o adestramento. O gato o verá como um incômodo e vai se negar a cooperar.
  • Não tente adestrá-lo depois de alimentá-lo. Por um lado, o gatinho estará sonolento, e por outro, não terá motivação para obter o prémio. O melhor é que o adestramento seja realizado quando o gato estiver um pouco esfomeado, pois estará ansioso para cooperar e receber seus deliciosos prêmios.
  • As sessões de adestramento devem ser de curta duração. Os gatos têm uma capacidade de atenção mais curta do que a nossa e gostam de fazer as coisas como e quando eles querem.
  • Se notar que o gato começa a se distrair ou que não está motivado, termine a sessão antes de que o animal vá embora por sua conta. É preferível terminar antes do tempo por uma decisão sua do que deixar que o animal fique entediado e assuma que pode ir quando quiser.
  • Varie as recompensas. Os gatos tendem a se entediar rapidamente, inclusive das guloseimas. Procure variar os prémios para que se mantenha interessado e motivado no aprendizado.

Um gato pode aprender truques incríveis: tocar um sino, dar voltas, “cantar um dueto”, dançar, pular, sentar, trazer objetos, abrir caixa e tudo o que possa imaginar. Somente tem que dar muito amor, não ter pressa, ter paciência e, principalmente, ter perseverança.

Não desista se parece que o seu gato não avança tão rapidamente quanto esperava: são independentes e têm um caráter forte, então não desanime. Com tempo e paciência irá conseguir.

Esperamos que você e o seu gato tenham uma longa e feliz convivência. Não se esqueça de passar pelas nossas lojas Kiwoko ou Kiwoko.pt onde encontrará tudo o que precisa para o seu gatinho. É com todo o prazer que o aconselharemos sobre qualquer questão que tenha.